Pular para o conteúdo principal

NÚMEROS E SEUS SIGNIFICADOS MITOLÓGICOS

Qual-o-significado-das-tatuagens-do-numero-13-2.jpg
 
Números e seus significados mitológicos 


Interessante estudo sobre Números, baseado em antigas publicações, destinado a pessoas que estudam filosofia mística.
A Sabedoria Oculta aprendida na Índia, no Egito, dos Oráculos de Delfos, da Cabala dos rabinos e estudos dos magos caldeus. Cita as características da Escola Pitagórica, entre elas a de que cada membro ter que passar cinco anos de comtenplação guardando completo silêncio. Entre suas Instruções, fala da ciência dos Números.


A seguir apresenta um estudo sobre o significado oculto de nomes como ABRM (Abraão) SHRI (Sarai) e Isaac, fazendo a decomposição dos nomes o obtendo significados curiosos. Também relaciona esses nomes com o valor correspondente das letras. Encerra falando dos Quadrados Mágicos dos Planetas. Ex. Quadrado de Júpiter tem um lado de quatro divisões = 16; a soma de cada linha é 34; o total é 136.Já o número do Sol é 666, o número da Besta. Os deuses das monarquias antigas também eram associados a números místicos pelos caldeus: Anu / Plutão =60; Bal / Júpiter =50, etc. IV- Os Números Individuais - Discorre sobre: A Mônada - o principal, e elementar dos números (UM), explanando suas significações Pitagóricas - Deus, Intelecto, Masculino-Feminino, Matéria, Caos, etc.- e as formas de representações entre os povos. A primeira Mônada é o próprio número; a 2ª mônada é a esfera, a 3ª mônada corresponde às esferas dos planetas, etc. A Díade ou Mônada limitada, representa grande número de objetos e idéias dissemelhantes.
A Tríade (3) é o primeiro número ímpar com numerosas de citações de livros Sagrados e Sabedorias. O Três e Meio - considerado de importância mística como metade de sete; ele representa o sofrimento presente em comparação com a alegria futura. A Tétrade (4) chamado pelos pitagóriicos de "o maior milagre" e "um Deus de outro modo", etc. Quase todos os povos da antiguidade tinham um nome de 4 letras para a Divindade (ADAD - sírios, ANUN - egípcios, gregos era TEOS, ALLAH árabes,etc.). A Pêntade (5) número circular, está relacionado à Luz e a Justiça. A Héxade (6) ou forma da forma; segundo Nicomaco o número adaptado a alma; também a harmonia; para os Pitagóricos é a perfeição das Partes. Heptade (7) representa a Virgem, associada a Minerva; também é a Fortuna, a Voz. É relacionada com os ciclos de 7 anos da vida.Ogdoade (8) é o primeiro cubo de energia e o único número par com paridade na primeira década. Para os gregos era o número "todo poderoso" - todas as coisas são oito. Eneade (9) - o primeiro quadrado do primeiro número ímpar; seria semelhante ao Oceano, espalhando-se por todos os outros números dentro da Década (10) ou Panteleia "Completo de Todo", e que uma vez alcançado não pode ser ultrapassado pois volta à Mônada. Era chamada de Divindade, Céu, Eternidade e o Sol. O número Onze, tido com mau é considerado pelos cabalistas o oposto da perfeição da década. Doze - tido como perfeito está relacionado aos Sígnos do Zodíaco, às Doze tribos, doze apóstolos, doze deuses egípcios, doze pedras preciosas do peitoral do grão sacerdote, 12 meses. O número Treze é um número sagrado para os mexicanos e utilizado para cálculo de seu calendário. A idéia de ser um número infortunado partiu do destino de Judas após a última ceia de Jesus, entre os cristãos. Seguem os números eram utilizados pelos Hindus e dos números Superiores. Na sequencia fala do número 14 destacando os números de significado bíblico, esotérico, cabalístico, místico, astronômico como o da revolução dos equinócios, etc. Encerra com "Os Números Apolípticos", repetindo-os de Um a Doze e depois o 24 (Anciões e Tronos); o 42 - dos 42 meses de blasfêmias da Besta; o númeo 144 - os côvados das muralhas da Nova Jerusalém; o nº 666 da besta; 1000 anos do Dragão acorrentado e 1000 anos em que as almas dos Fiéis viverão e reinarão; os 1260 dias, os 144 mil escolhidos e 10 mil vezes 10 mil Anjos ao redor do Trono.
 

Interessante estudo sobre Números, baseado em antigas publicações, destinado a pessoas que estudam filosofia mística.
a Sabedoria Oculta aprendida na India, no Egito, dos Oráculos de Delfos, da Cabala dos rabinos e estudos dos magos caldeus. Cita as características da Escola Pitagórica, entre elas a de que cada membro ter que passar cinco anos de comtenplação guardando completo silêncio. Entre suas Instruções, fala da ciência dos Números


A seguir apresenta um estudo sobre o significado oculto de nomes como ABRM (Abraão) SHRI (Sarai) e Isaac, fazendo a decomposição dos nomes o obtendo significados curiosos. Também relaciona esses nomes com o valor correspondente das letras. Encerra falando dos Quadrados Mágicos dos Planetas. Ex. Quadrado de Júpiter tem um lado de quatro divisões = 16; a soma de cada linha é 34; o total é 136.Já o número do Sol é 666, o número da Besta. Os deuses das monarquias antigas também eram associados a números místicos pelos caldeus: Anu / Plutão =60; Bal / Júpiter =50, etc. IV- Os Números Individuais - Discorre sobre: A Mônada - o principal, e elementar dos números (UM), explanando suas significações Pitagóricas - Deus, Intelecto, Masculino-Feminino, Matéria, Caos, etc.- e as formas de representações entre os povos. A primeira Mônada é o próprio número; a 2ª mônada é a esfera, a 3ª mônada corresponde às esferas dos planetas, etc. A Díade ou Mônada limitada, representa grande número de objetos e idéias dissemelhantes.
A Tríade (3) é o primeiro número ímpar com numerosas de citações de livros Sagrados e Sabedorias. O Três e Meio - considerado de importância mística como metade de sete; ele representa o sofrimento presente em comparação com a alegria futura. A Tétrade (4) chamado pelos pitagóriicos de "o maior milagre" e "um Deus de outro modo", etc. Quase todos os povos da antiguidade tinham um nome de 4 letras para a Divindade (ADAD - sírios, ANUN - egípcios, gregos era TEOS, ALLAH árabes,etc.). A Pêntade (5) número circular, está relacionado à Luz e a Justiça. A Héxade (6) ou forma da forma; segundo Nicomaco o número adaptado a alma; também a harmonia; para os Pitagóricos é a perfeição das Partes. Heptade (7) representa a Virgem, associada a Minerva; também é a Fortuna, a Voz. É relacionada com os ciclos de 7 anos da vida.Ogdoade (8) é o primeiro cubo de energia e o único número par com paridade na primeira década. Para os gregos era o número "todo poderoso" - todas as coisas são oito. Eneade (9) - o primeiro quadrado do primeiro número ímpar; seria semelhante ao Oceano, espalhando-se por todos os outros números dentro da Década (10) ou Panteleia "Completo de Todo", e que uma vez alcançado não pode ser ultrapassado pois volta à Mônada. Era chamada de Divindade, Céu, Eternidade e o Sol. O número Onze, tido com mau é considerado pelos cabalistas o oposto da perfeição da década. Doze - tido como perfeito está relacionado aos Sígnos do Zodíaco, às Doze tribos, doze apóstolos, doze deuses egípcios, doze pedras preciosas do peitoral do grão sacerdote, 12 meses. O número Treze é um número sagrado para os mexicanos e utilizado para cálculo de seu calendário. A idéia de ser um número infortunado partiu do destino de Judas após a última ceia de Jesus, entre os cristãos. Seguem os números eram utilizados pelos Hindus e dos números Superiores. Na sequencia fala do número 14 destacando os números de significado bíblico, esotérico, cabalístico, místico, astronômico como o da revolução dos equinócios, etc. Encerra com "Os Números Apolípticos", repetindo-os de Um a Doze e depois o 24 (Anciões e Tronos); o 42 - dos 42 meses de blasfêmias da Besta; o númeo 144 - os côvados das muralhas da Nova Jerusalém; o nº 666 da besta; 1000 anos do Dragão acorrentado e 1000 anos em que as almas dos Fiéis viverão e reinarão; os 1260 dias, os 144 mil escolhidos e 10 mil vezes 10 mil Anjos ao redor do Trono.
 

Postagens mais visitadas deste blog

A ALMA E AS 10 SEFIROT

Árvore da Vida, mostrando os dez Sefirot.
A Alma e as Dez Sefirot Do livro “Kabbalah and Meditation for the Nations”, do Rabino Yitschak Ginsburgh – Capítulo 3 (2parte) Nós aprendemos na Cabalá que D’us criou o mundo por meio de dez sefirot — que são dez emanações da energia Divina. Estas sefirot permeiam e se manifestam dentro de cada aspecto da criação, inclusive, é claro, a alma humana, que foi criada à imagem de D’us1. Tanto a alma física quanto a alma Divina se manifestam por meio das sefirot, e ambas possuem uma estrutura completa de dez sefirot, as quais, conforma descreve a Cabalá, se dividem em três faculdades intelectuais e sete atributos emocionais/comportamentais2. As três sefirot intelectuais são sabedoria, entendimento e conhecimento, e também são chamadas de “as três primeiras [sefirot]”, ou o mochin (literalmente, “cérebro”). As setesefirot emocionais são bondade, força, beleza, vitória, reconhecimento, fundação e reinado, e também são chamadas de “as sete [sefirot] mai…

CONHECENDO A CABALA(KABBALAH) : O CÓDIGO POR TRÁS DA REALIDADE

O que é Cabala:


Kabalah é uma palavra hebraica que significa "recepção". É conhecimento espiritual judaico, que Moshê recebeu de D’us, os alunos de Moshê receberam dele, e assim sucessivamente no decorrer dos séculos. 

A Kabalah é a interpretação espiritual de toda a Torá, a compreensão do funcionamento interior das coisas, do mundo, de D’us, da alma, da Torá, e a vasta coleção de sabedoria oral e impressa que abrange e registra esse conhecimento. 

Contrário à opinião pública, a Kabalah não é magia: não envolve rituais estranhos ou eventos sobrenaturais. Também não tem nada a ver com psicologia pop. E certamente não lhe dará poderes psíquicos. 

Hoje existem a Kabalá e a Cabalá - (uso a letra "C" para destacar a diferença do Modismo frente uma Fisolofia Supra Racional transmitida de Mestre para Aluno por milhares de gerações!). 

Kabalá é um corpo de conhecimento extremamente extenso, quem conhece se cala, não divulga e busca constantemente o aprimoramento espiritual. Ela…

CABALA MÍSTICA : A ÁRVORE DA VIDA(SEPHIROT)

Cabala Mística
Com a devida autorização, passo a transcrever algumas notas extraídas de um antigo diário encontrado na biblioteca do Colégio do Espírito Santo, escrito por um Rosa+Cruz identificado como "Irmão Poimandres".

Faço-o a pedido e sem alterar qualquer passagem. Escreveu o Irmão Poimandres:
"SOBRE A ÁRVORE DA VIDA
Véus de Existência Negativa (acima da Árvore da Vida): Ain (Não) - O vazio absoluto. Ain Soph (Ilimitado) - O eterno, no mais puro sentido: se nada há, não existem limites. Ain Soph Aur (Luz Ilimitada) - O eterno movimento: quando não há limites, as coisas acontecem simplesmente porque não há motivos para não acontecerem.

Árvore da Vida:
AS DEZ ESFERAS (Sephiroth; singular: Sephirah):
Kether - coroa Chokmah - sabedoria Binah - entendimento Chesed - misericórdia Gebura - força - vontade em ação Tipheret - beleza Netzach - vitória - imaginação criadora - emoções elevadas Hod - Esplendor - mente universal Yesod - fundamento Malkuth - reino
A árvore da vida apresenta Deus so…