Pular para o conteúdo principal

AS MÚMIAS E A VERDADEIRA ORIGEM DAS DOENÇAS CARDÍACAS SEGUNDO O ZOHAR

As múmias e a verdadeira origem 

das doenças cardíacas

Nas últimas décadas, a ciência médica tem nos dito que os ovos, sanduíches de pastrami, frango frito, bifes e outras comidas da nossa dieta moderna, que possuem alto teor de gorduras saturadas, aumentam o risco de desenvolver doenças cardíacas e ataques cardíacos.
Muito colesterol ruim e gorduras ruins em nosso sangue – diz a ciência – causam placas que se formam nas paredes das artérias e as entopem.
O bom colesterol e as gorduras boas – diz a ciência – realmente ajudam a limpar as nossas artérias e estimulam um sistema cardiovascular mais saudável. A ciência médica apenas descobriu o papel do bom e do mau colesterol e das boas e das más gorduras nas últimas décadas.
Bem, o Zohar disse exatamente a mesma coisa há dois mil anos atrás! O Zohar se refere às boas gorduras como “porções de gorduras puras… limpam o sangue dos resíduos”.
O Zohar descreve a gordura ruim como porções de gordura que são ritualisticamente impuras, oferecidas para as artérias do coração pelo fígado, causando doenças e morte.  
O Zohar continua, dizendo que tanto as gorduras boas quanto as ruins são produzidas pelo fígado. O Zohar diz que o fígado irá absorver as gorduras boas do sangue e repassar as gorduras ruins através da nossa corrente sanguínea e para as artérias, levando a doenças, ou o fígado irá filtrar as gorduras ruins do sangue e repassar as gorduras boas para o nosso sangue e as artérias. A propósito, quando eu mostrei estes e outros versos para cardiologistas de Harvard e para alguns físicos, eles ficaram surpresos! A leitura do Zohar parece como um periódico médico moderno.
Existe uma profunda e contudente diferença entre o Zohar e a ciência médica no que diz respeito à causa desses bloqueios em nossas artérias, como resultado das gorduras ruins:
A ciência culpa a nossa dieta moderna e as comidas que nós comemos.
O Zohar lança a culpa sobre o comportamento humano.
Nossa incapacidade de compreender esta diferença significativa levou a doença arterial coronariana a se tornar o assassino número um da humanidade, matando muito mais pessoas do que o câncer.
Bem, a ciência médica acabou de encontrou algo surpreendente, que foi manchete em todo o mundo há alguns dias.

AS MÚMIAS

Um “time do sonho” composto pela nata dos cientistas médicos incluindo cardiologias, antropologistas e radiologistas fizeram uma tomografia computadorizada em 137 múmias. Você sabe o que eles descobriram? Que o endurecimento das artérias já acontece por 4 milênios.
137 múmias passaram pelo tomógrafo por um time de cientistas médicos. Eles ficaram atônitos ao descobrir que esses povos antigos sofriam de doenças cardiovasculares da mesma maneira que os povos modernos sofrem hoje em dia.
“Doenças cardíacas têm perseguido a humanidade por mais de 4.000 anos por todo o globo terrestre”, disse o cardiologista Dr. Randall Thompson.
No artigo do jornal Los Angeles Times, Dr. Gregory Thomas, que é parte da equipe de 10 membros do time científico, disse que os povos antigos sofriam de doenças cardiovasculares exatamente do mesmo modo que as pessoas de hoje em dia.
“Isso é um pouco intrigante”, disse Thomas, “porque ao contrário de nós, os povos antigos não tinham acesso ao fast food. Pelo contrário, eles sobreviviam dos frutos da terra – que nós consideramos hoje como a dieta mais saudável que você poderia comer E ainda assim eles também tinham aterosclerose.”.
Thomas, que é o diretor médico do Instituto Memorial de Cuidados com o Coração e Sistema Vascular, em Long Beach Memorial, estava convencido de que a ciência médica tinha entendido a causa de doença cardíaca antes deste último estudo sobre as múmias. “Queremos acreditar que podemos prevenir doenças cardíacas, que não precisamos ter problemas de coração se fizermos as coisas certas e nos voltarmos para a natureza”, disse Thomas. “Eu acreditava nisso, também, até que eu passei essas pessoas pelo tomógrafo.”

O ZOHAR SOBRE AS ORIGENS DA DOENÇA CARDÍACA

O Zohar explica que o fígado é a sede do nosso comportamento egocêntrico e reativo. O Zohar diz que quando somos governados pelo auto-interesse, o fígado transmite as impurezas da gordura para as artérias do coração e do corpo, causando doenças. O Zohar diz que as artérias do coração são o lugar onde a influência da nossa alma habita. Quando resistimos ao nosso ego e raiva, quando nós abrimos mão do auto-interesse, considerando a dignidade e os interesses do nosso concorrente, amigo ou inimigo, o fígado filtra as gorduras ruins e só oferece as gorduras puras para as artérias do nosso coração e do fígado.
É simples assim. Mas definitivamente não é fácil.
A humanidade tem se engajado em conflitos com seus semelhantes ao longo de  4.000 anos e, portanto, temos enfrentado doenças cardiovasculares ao longo de 4.000 anos.
O ego é a influência mais difícil que existe, tanto para se reconhecer quanto para se livrar dele. Nós amamos o nosso ego. Nós estamos viciados no nosso ego. E nós nem sequer acreditamos que ele existe como uma entidade separada de nós mesmos.
É aí que reside o problema final; a humanidade tem falhado em entender que existem duas forças de consciência dentro de nós.
1. Nossa verdadeira alma e seus desejos
2. Nossos desejos egocêntricos.
O Zohar e a Torá se referem ao ego como o Satan, que significa Adversário. É chamado de Adversário porque ele se opõe aos nossos verdadeiros desejos que emanam de nossa própria essência, a alma. O ego controla o nosso comportamento e faz isso nos convencendo de que ele não existe. Nós simplesmente não acreditamos que o ego é uma força à parte que está sabotando todo o nosso comportamento, a nossa saúde e nossas vidas. Nós não acreditamos que a força do Satan é uma onda real de consciência que governa as “ondas” da nossa mente.
Sabemos que algo é ruim para nós, mas nós fazemos assim mesmo. Saber que algo é ruim é o reconhecimento da nossa alma. Fazer isso de qualquer maneira é a influência do nosso ego. Saber que algo é bom e benéfico para nós mesmos, é a compreensão da nossa alma. Procrastinar e não prosseguir em fazer algo positivo é o ego sabotando a nossa alma, e nos tornando cegos a respeito da influência egocêntrica que acontece durante o processo.
Nós não sabemos que estamos nesta terra para combater este ego interno e para removê-lo da paisagem da consciência humana, e, por sua vez, da paisagem da realidade física. Na medida em que diminuímos o nosso ego, nós diminuímos as gorduras ruins que entopem as artérias do nosso corpo e também entopem as artérias que nos conectam com outras pessoas.
O Zohar é claro sobre isso: Uma vez que o ego for erradicado de um número suficiente de pessoas na terra, as relações vão florescer e, em seguida, as comportas da inovação na civilização vão explodir, super abertas, abrindo o caminho para a transformação do mundo, que vai incluir a imortalidade biológica, uma mundo aperfeiçoado e felicidade humana interminável. Somente o ego, como um mecanismo de auto-defesa, torna esta verdade sobre o nosso destino parecer irreal ou impossível.

AS ARTÉRIAS DA VIDA

Todos os nossos relacionamentos na vida são artérias. Temos relacionamentos e artérias nos negócios pelas quais a prosperidade pode fluir. Temos artérias em nosso casamento por meio do qual a paixão e a excitação fluem. Temos artérias que nos ligam aos nossos amigos e nossos filhos e nossos irmãos. É através destas artérias que fluem as bênçãos, a energia, a paixão, o amor e a Luz que acendem todos os nossos relacionamentos.
Quando vivemos sob o domínio do ego, nós entupimos essas artérias e agora o fluxo de bênçãos é diminuído. Qualquer problema na vida, seja em um casamento, em um negócio ou na nossa saúde pessoal, tudo é causado pelo “bloqueio” dessas artérias.
Todo o sistema kabalístico das Dez Sefirot, também conhecido como a árvore da vida, consiste em artérias cósmicas, através das quais a Luz do Criador flui para o nosso mundo.
Nada vai mudar em relação a este problema de 4.000 anos de doenças cardíacas, até que nós finalmente conseguirmos desmascarar a força da consciência conhecida como O Satan. O Oponente. O Adversário. O ego.
Os kabalistas também nos advertem: A verdadeira essência desta força negativa é a dúvida. O ceticismo. O cinismo. Isso significa que, quanto mais nos aproximarmos de desmascarar o Satan, mais dúvida teremos sobre a sua existência.
 
Esses povos antigos consumiam a melhor dieta possível e ainda assim eles sofriam de endurecimento das artérias e de doenças cárdicas. Para a ciência médica, isso significa voltar atrás, começar do zero, para descobrir a causa subjacente da doença cardiovascular.
Sim, é uma batalha dura. Mas agora, a Ciência e a Kabbalah ambas concordam sobre a existência das gorduras boas e ruins na nossa corrente sanguínea e sobre o seu efeito sobre nossas artérias. Nós só precisamos chegar a um comum acordo sobre as causas por trás da existência das gorduras boas e ruins. Nós esperamos que a ciência médica irá começar a perceber que nunca é algo externo ou físico que é a causa final da doença. É sempre a consciência. A ciência vai continuar pesquisando e testando e comprovando, até que, finalmente, chegará ao ponto em que a resposta para todos os problemas da vida se resume a uma causa subjacente.
Que é o nosso comportamento.
Nosso comportamento em relação ao próximo.
Ponto final.
E quanto mais nós duvidarmos desta verdade profunda, mais estaremos sob a influência de nosso ego. E, portanto, a cada dúvida, estamos permitindo que o nosso fígado entupa as nossas artérias com gorduras ainda piores.
O próprio ato de duvidar que o nosso comportamento causa doenças cardíacas serve para nos levar para mais perto das doenças cardíacas.
Como o kabalista Rav Berg disse há alguns anos atrás: “Não podemos mais nos dar ao luxo de ter dúvidas.”


by 

Fonte:http://estudantesdekabbalah.com/2013/03/17/as-mumias-e-a-verdadeira-origem-das-doencas-cardiacas/

Postagens mais visitadas deste blog

A ALMA E AS 10 SEFIROT

Árvore da Vida, mostrando os dez Sefirot.
A Alma e as Dez Sefirot Do livro “Kabbalah and Meditation for the Nations”, do Rabino Yitschak Ginsburgh – Capítulo 3 (2parte) Nós aprendemos na Cabalá que D’us criou o mundo por meio de dez sefirot — que são dez emanações da energia Divina. Estas sefirot permeiam e se manifestam dentro de cada aspecto da criação, inclusive, é claro, a alma humana, que foi criada à imagem de D’us1. Tanto a alma física quanto a alma Divina se manifestam por meio das sefirot, e ambas possuem uma estrutura completa de dez sefirot, as quais, conforma descreve a Cabalá, se dividem em três faculdades intelectuais e sete atributos emocionais/comportamentais2. As três sefirot intelectuais são sabedoria, entendimento e conhecimento, e também são chamadas de “as três primeiras [sefirot]”, ou o mochin (literalmente, “cérebro”). As setesefirot emocionais são bondade, força, beleza, vitória, reconhecimento, fundação e reinado, e também são chamadas de “as sete [sefirot] mai…

QUAL A SIMBOLOGIA DOS DIFERENTES TIPOS DE ESTRELAS ?

Significado da estrela de DaviQual a simbologia dos diferentes tipos de estrela?Na história das civilizações, a estrela já teve vários significados, do divino ao mais mundano. O segredo da interpretação está no total de pontas da figura
1) Pentagrama invertido Diferentemente do pentagrama, o pentagrama invertido tem uma interpretação mais sinistra, como um dos símbolos do ocultismo moderno. Com base no desenho do ocultista francês Stanislas de Guaita, o pentagrama com duas pernas para cima, inscrito em um círculo e com a cabeça de uma cabra dentro é o logotipo da Igreja de Satã. O ocultista Aleister Crowley também fez uso do pentagrama invertido, simbolizando a descida do espírito na matéria.
2) Pentagrama A estrela de cinco pontas pode ser encontrada em fragmentos de cerâmica de mais de 4 mil anos. Contudo, o símbolo foi popularizado por Pitágoras, que afirmava que o 5 era o número do homem, pois tanto a alma quanto o corpo poderiam ser divididos em cinco partes. Um dos primeiros usos do…

CONHECENDO A CABALA(KABBALAH) : O CÓDIGO POR TRÁS DA REALIDADE

O que é Cabala:


Kabalah é uma palavra hebraica que significa "recepção". É conhecimento espiritual judaico, que Moshê recebeu de D’us, os alunos de Moshê receberam dele, e assim sucessivamente no decorrer dos séculos. 

A Kabalah é a interpretação espiritual de toda a Torá, a compreensão do funcionamento interior das coisas, do mundo, de D’us, da alma, da Torá, e a vasta coleção de sabedoria oral e impressa que abrange e registra esse conhecimento. 

Contrário à opinião pública, a Kabalah não é magia: não envolve rituais estranhos ou eventos sobrenaturais. Também não tem nada a ver com psicologia pop. E certamente não lhe dará poderes psíquicos. 

Hoje existem a Kabalá e a Cabalá - (uso a letra "C" para destacar a diferença do Modismo frente uma Fisolofia Supra Racional transmitida de Mestre para Aluno por milhares de gerações!). 

Kabalá é um corpo de conhecimento extremamente extenso, quem conhece se cala, não divulga e busca constantemente o aprimoramento espiritual. Ela…